Web 3.0: saiba tudo sobre a internet descentralizada!

calendar_month 01/02/2022

Se você está por dentro do mundo dos criptoativos, já deve ter ouvido falar sobre a Web 3.0 e como ela pode ser promissora para a produção de conteúdo, interações sociais e consumo de conteúdo, principalmente no metaverso.

Mas você já parou para pensar na importância que ela tem quando se trata de temas como a descentralização da internet? É o que iremos falar neste artigo. Continue lendo e descubra tudo sobre a Web 3.0!

Qual o contexto de surgimento da Web 3.0?

Se existe uma Web 3.0, é preciso entender os antecedentes dela. Para isso, iremos voltar no tempo e falar um pouco sobre as Webs 1.0 e 2.0.

Web 1.0

Podemos definir a Web 1.0 como a “primeira geração” da internet, com alcance mundial. Como ainda era algo novo a ser descoberto, os sites, em sua maioria, apresentavam layouts estáticos e tinham o principal objetivo de informar o internauta.

A Web 1.0 foi construída utilizando protocolos descentralizados e administrados pela comunidade. Os principais usuários eram aqueles que consumiam o que era produzido ao invés de criadores de conteúdo. 

Web 2.0

Já a Web 2.0 é a internet que conhecemos e usamos até hoje. O grande destaque com relação à Web 1.0 é o fato que, agora, existem mais conteúdos produzidos pelos usuários, que saíram da posição passiva de consumidores.

Além disso, outro destaque é que, com a Web 2.0, foi possível observar uma utilização para além da busca por informações, com a interação em redes sociais e a possibilidade de realizar compras sem sair de casa, por exemplo.

Entretanto, a Web. 2.0 ainda segue sendo dominada por serviços centralizados executados por grandes corporações que possuem o poder de censurar conteúdos dos usuários e armazenar seus dados em bancos de dados ou repositórios, além de poderem aceitar ou não as transações dos usuários.

Como a Web 3.0 se diferencia das outras?

Podemos pensar a Web 3.0 como um passo adiante na evolução da internet, junto ao metaverso, com alcance mundial, mas possuindo um ecossistema descentralizado e alimentado por Blockchains. Isso significa que os usuários poderiam interagir e produzir seu conteúdo sem se preocupar com os seus dados nas mãos das grandes empresas ou com a censura do conteúdo produzido.

Pensando de maneira mais simples, desde o mecanismo de pesquisa até redes sociais, marketplaces e outros seriam construídos em uma Blockchain, sendo facilitados pelo uso das criptomoedas e, assim, permitindo novas formas de desenvolver conteúdos não censuráveis, além de formas de pagamento mais inclusivas. As criptomoedas associadas à Web 3.0 são conhecidas como tokens ou criptomoedas da Web 3.0.

O grande diferencial da Web 3.0 em relação às anteriores é que o seu objetivo é dar aos usuários mais poder e controle sobre o conteúdo digital produzido com o auxílio de uma infraestrutura descentralizada e sem a necessidade de transações e permissões de uma só autoridade central, como as grandes empresas. Além disso, ao trazerem dados e conteúdos que gerassem algum valor para a comunidade online, os criadores de conteúdo poderiam ser recompensados financeiramente.

Apesar de parecer algo promissor para os usuários, acreditamos que a era da Web 3.0 ainda caminha a passos lentos e só atingirá seu potencial quando a maioria dos apps e sites presentes na Web 2.0 adotarem uma infraestrutura descentralizada.

Mas não se engane, já existem diversos apps em fase inicial de desenvolvimento voltados para a Web 3.0. A transformação está chegando e é preciso estar pronto para fazer parte da mudança. Você está?

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece no universo cripto?

Siga a Liqi nas redes sociais:

➜ Instagram: https://www.instagram.com/liqibr/

➜ YouTube: https://www.youtube.com/@LiqiDigitalAssets/

➜ LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/liqidigitalassets/

➜ Tik Tok: https://www.tiktok.com/@liqibr

➜ Twitter: https://twitter.com/liqibr

➜ Newsletter: https://www.liqi.com.br/newsletter

Aproveite para conhecer o SITE da Liqi: https://www.liqi.com.br/

Outros artigos

Tendências da securitização com o uso da tokenização e da blockchain | Gabriel Lopes

Gabriel Lopes (Head de Originação e Distribuição da VERT Capital) explora a evolução do mercado de capitais no Brasil, destacando o papel...

19/07/2024

Saiba mais

FIDC e TIDC: diferenças de estrutura, custos e funcionamento | Alexandre Freitas

Alexandre Freitas explora os detalhes do Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), como ele é regulamentado pela Comissão de Valores...

05/07/2024

Saiba mais
O que é alavancagem financeira; O que é alavancagem financeira para empresas; Benefícios e riscos da alavancagem financeira para empresas; O que é alavancagem financeira para investidores; Benefícios e riscos da alavancagem financeira para investidores; O que é Grau de Alavancagem (GAF); Empresas alavancadas; Investidores alavancados

O que é Alavancagem Financeira para empresas e para investimentos

A alavancagem financeira é um conceito fundamental tanto para empresas quanto para investidores, oferecendo a possibilidade de ampliar ganhos...

02/07/2024

Saiba mais

Saiba das novidades cripto antes de todo mundo!

Assine a nossa newsletter semanal e receba todas as atualizações sobre o mercado que nunca para.