Quem é a ABcripto? Qual o papel da ABcripto? Criptoeconomia brasileira. Autorregulamentação ABcripto. Regulamentação cripto no Brasil. Segurança cripto. Bernardo Srur ABcripto. Talkenização podcast Liqi. Cripto é seguro? Tokens são seguros? Investir em ativos financeiros com segurança. Associados ABcripto.

Regulamentação cripto: o papel da ABCripto no mercado financeiro brasileiro

calendar_month 07/02/2024

A ABCripto é uma entidade brasileira fundada em 2018 com o objetivo de unir empresas do ecossistema dos criptoativos e blockchain para a interlocução com o poder público, além de executar ações em prol do desenvolvimento tecnológico e da inovação – uma das principais características do setor da criptoeconomia.

O convidado do episódio #105 do podcast Talkenização é o Bernardo Srur, presidente e um dos fundadores da ABCripto, que falou sobre o papel da associação no mercado financeiro.

Quem é a ABCripto e qual o papel da associação?

Em 2018 foi o primeiro boom do mercado cripto, mas ainda era um mercado em formação. Um dos primeiros problemas que emergiu foi separar quem estava trabalhando de maneira séria e quem queria se aproveitar das pessoas. Um dos intuitos da associação é justamente proteger os investidores e as empresas sérias. A ABCripto é uma entidade entre poder público, poder privado e pessoas comuns (investidores) e leigos.

Ela é uma entidade sem fins lucrativos, em que tudo o que é arrecadado de receita é revertido para a sociedade (cursos, eventos, seminários, educação, manuais), com o objetivo de iluminar este setor importantíssimo e ajudar a organizar e desenvolver a criptoeconomia no país.

Quais os principais objetivos da ABCripto?

Divididos em três blocos de atuação, a associação se organiza da seguinte forma:

1) Políticas: discussões sobre políticas públicas e privadas, respondem consultas públicas, trazem informações e dados para as entidades tomarem suas decisões, sempre extremamente fundamentado tecnicamente. O mercado, no entanto, precisa também fazer a sua parte e demonstrar não apenas que é capaz de cumprir, mas que é maduro o suficiente para agir antes que uma força maior como uma regulação se imponha

2) Dados e informações precisas do setor: grande parte da energia da associação é focada em pesquisas, documentos, publicações, dados e indicadores para poder guiar as decisões da associação, para poder entender como o mercado funciona e para desenvolver políticas públicas e privadas.

3) Cultura e educação muito forte voltada à criptoeconomia: cursos, ações educacionais, parcerias, atividades educacionais para educar as pessoas sobre este universo. Incluindo parceria com a CVM na contribuição da educação financeira na grade curricular para adolescentes.

Como a ABCripto enxerga o mercado atual?

O mercado vem se estruturando no decorrer dos anos. Nos últimos anos tivemos a criação de novos produtos e serviços. Até 2018 era mais latente a negociação apenas de Bitcoin e Ether. Em 2019 em diante começa a ter novos players, novos tipos de tecnologia, tokenizadoras e novas formas de investir para a população.

Neste momento temos um setor que começa a ser pluralizado como negócio, novas entradas como instituições financeiras. O Brasil começa a se tornar extremamente atrativo para o capital estrangeiro, gerando renda e empregos.

Este ano de 2024 é extremamente importante com a aprovação dos ETFs nos EUA representando uma legitimação da criptoeconomia. Agora, cripto de uma forma geral participa do mesmo jogo que os demais players mais consolidados e tradicionais.

Há muito tempo o mercado cripto trazia muito potencial, mas de forma paralela ao mercado financeiro. Então essa fusão era inevitável, mas não sabíamos em que momento aconteceria. Com a revisão de políticas monetárias internacionais olhando as práticas de juros, começa a se discutir se vamos para uma recessão na prática de juros ou não. Acredito em uma perspectiva macroeconômica positiva este ano.

Criptoeconomia nos EUA e seus impactos mundiais

Em meados de 2024 teremos o halving do bitcoin reduzindo essa recompensa aos mineradores, o que significa mais escassez, mais valor que espera-se ser revertido em seu preço, do ponto de vista econômico.

Temos o ponto de vista regulatório também que está avançando muito aqui no Brasil e nos EUA. Nos últimos anos tínhamos visto uma tentativa de frear a economia cripto, mas hoje em dia é um dos mercados que mais cresce no mundo. Com a aprovação do ETF nos EUA significa que eles não vão frear, o que passa uma mensagem positiva regulatória e começa a retomar os debates regulatórios por lá.

Mas no Brasil a discussão está bem quente, o país desponta em termos de segurança jurídica, o que é bom para a América Latina. O Brasil está muito na frente no que diz respeito à legitimidade jurídica desse setor em um ano de avanço regulatório, com regulação da CVM sendo desenvolvida, o país desponta em termos de segurança jurídica, passando mais confiança para cada vez mais pessoas entrarem no mercado. 

O que significa regulamentar a criptoeconomia?

Segurança para todos. Vão além de são apenas processos de legitimação, caso qualquer agente tenha problema ele tem a quem recorrer e fazer valer a regra imposta. Caso qualquer investidor ou empresa tenha um problema, eles têm a quem recorrer para solucionar este caso com a existência de uma regulação a qual recorrer para fazer valer o seu dano.

As pessoas confundem muito regulamentação como sufocamento, mas lembremos que todas as discussões no Brasil estão sendo muito produtivas e colaborativas. Os reguladores estão muito interessados em ver o potencial deste mercado.

Regulação não é sufocamento. Existe uma vontade das autoridades de serem produtivas para ajudar e não sufocar. O mercado de capitais tem 3% da população brasileira, o mercado cripto tem 6% da população. É mais simples, mais ágil, é um mercado de inclusão, mais acessível. Assim, temos uma nova economia inclusiva que é vista com olhar positivo pelas instituições reguladoras no Brasil.

Crypto as a Service e a adesão do mercado às criptomoedas

É uma tendência cripto estar mais acessível para todos, como o Crypto as a Service para bancos e instituições financeiras. O mercado entende que será cada vez mais rápida a adoção de criptoativos por agentes regulados como bancos, instituições de crédito, de pagamento, corretoras. Com empresas experientes, como a Liqi, oferecendo soluções prontas como a Liqi Crypto, essas empresas financeiras não precisam buscar inventar a roda, e sim parceiros que fazem esse serviço para o mercado.

Outro ponto é não apenas aderir criptomoedas, mas internalizar a blockchain nas operações, como a tokenização que proporciona maior rentabilidade que o mercado de capitais e elimina intermediários.

A grande possibilidade é que esses ativos restritos a um certo grupo de alto poder financeiro, com a tokenização, sejam fracionados gerando mais acessibilidade e democratização ao acesso ao investimento.

Tokenização de ativos e a modernização do ecossistema financeiro

Com a evolução disso tudo, as pessoas vão ter acesso a tokens que representam ativos. A rentabilidade do Brasil é uma das maiores, então a possibilidade de se beneficiar como nação na tração da negociação desses ativos é gigantesca.

O pix alcança cerca de 55% da população, proporcional ao alcance do mercado digital. Vamos supor que a criptoeconomia pode estar disponível para esse percentual. De 6% para 55% é uma expansão muito grande. Então vai existir uma competição saudável no mercado para alcançar a população que também não está inserida na economia. Afinal, você precisa estar conectado à internet, entre outras diversas questões, que excluem ainda grande parte da população. Com a criptoencomia existem facilidades para driblar esses bloqueios e acessar esses 45% da população hoje fora do mercado digital.

Principais desafios da criptoeconomia no Brasil

É uma nova economia digital que propõe a reformulação do sistema financeiro como todo.

Os principais desafios são a aceitabilidade e utilização, quebrar barreiras e unir mercados, adaptações regulatórias em sistemas tradicionais conservadores e antigos, que não é rápido e fácil. A reforma tributária é apenas um pedaço e é extremamente complexa, imagina a reforma de todo um sistema. Mas existe um ambiente propício, com o Banco Central e a CVM apoiando.

O Brasil fez o dever de casa de estar nessa posição privilegiada, poucas vezes estivemos a frente e liderando processos como com a criptoeconomia atualmente. Possibilidade de continuar na liderança, justamente graças às empresas, junto a sociedade, autoridade e poder público que vem trabalhando de forma cooperativa.

Como a ABCripto ajuda empresas e pessoas no mercado cripto?

A associação ajuda colocando em prática os três pilares previamente mencionados. E ressalta a diferença entre valor e preço. O valor do mercado está cada vez mais sendo provado e valorizado. Agora quando o preço vai acompanhar o valor não temos como saber. Ser um mercado de alto valor não quer dizer que vai ser um mercado de altos preços.

Invista naquilo que você conhece. Só entende o valor e se vale a pena investir se você procura entender, busca informação, procura entender se é volátil e como funciona o mercado. No caso da tokenização de ativos, não tem volatilidade por estar lastreado em ativos reais, no caso de criptomoedas existe a volatilidade.

Faça um teste, experimente antes de investir grandes quantidades, faça um test drive para conhecer o mercado antes de correr grandes riscos. Desconfie de promessas milagrosas, elas não existem. A intenção dos investimentos é garantir que você tenha uma correção, que o seu patrimônio não desvalorize, e não garantir que você fique milionário com ativos.

A criptoeconomia permite a diversificação e a exposição a novas oportunidades começando com pouco dinheiro. Investimento é uma cultura de preservar o seu patrimônio.

Ok escolhi o ativo, o mercado… qual empresa coloco? Escolha empresas instituídas no Brasil para ter a quem recorrer, associados da ABCripto, como a Liqi, que são submetidos a autorregulação da instituição, passam uma segurança maior.

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece? Siga a Liqi nas redes sociais!

➜ Site: https://www.liqi.com.br

➜ Instagram: https://www.instagram.com/liqibr

➜ YouTube: https://www.youtube.com/@LiqiDigitalAssets

➜ LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/liqidigitalassets

➜ Tik Tok: https://www.tiktok.com/@liqibr

➜ Twitter: https://twitter.com/liqibr

➜ Newsletter semanal: https://lps.liqi.com.br/newsletter

Outros artigos

Quais as vantagens da blockchain para o mercado financeiro?

Neste episódio do Cortes Talkenização, Guto Antunes (Head de Digital Assets do Banco Itaú) discorre sobre a importância da blockchain na...

23/02/2024

Saiba mais
O que é a Hyperledger Besu. Quais os casos de uso da Hyperledger Besu. Em quais setores a Hyperledger Besu pode ser utilizada? .Por que a Hyperledger Besu foi escolhida para o Drex (Real Digital).

Hyperledger Besu: como funciona, quais as aplicações e vantagens?

A Hyperledger Besu foi a DLT escolhida pelo Banco Central para o projeto piloto do Drex (também chamado de Real Digital). No mais novo episódio do...

21/02/2024

Saiba mais
O que são Tokens? Tokens de recebíveis. Renda fixa digital. RFD MB. Mercado Bitcoin renda fixa. Investimento 2024. Investimento acima do CDI. Dica de investimento. Dica de renda fixa. Como funcionam os tokens? Tokens são criptomoedas? Investimentos na blockchain. Investimentos seguros. Investimentos sem volatilidade.

Conheça os Tokens: uma alternativa digital à renda fixa tradicional na blockchain

A renda fixa é um dos modelos mais tradicionais de investimentos de baixo risco, diretamente atrelada à Selic, a taxa básica de juros do Brasil,...

01/02/2024

Saiba mais

Saiba das novidades cripto antes de todo mundo!

Assine a nossa newsletter semanal e receba todas as atualizações sobre o mercado que nunca para.